Fábrica de Embalagens de Alumínio

Apresentação

Aviso: Antes de conhecer este negócio, vale ressaltar que os tópicos a seguir não fazem parte de um Plano de Negócio e sim do perfil do ambiente no qual o empreendedor irá vislumbrar uma oportunidade de negócio como a descrita a seguir. O objetivo de todos os tópicos a seguir é desmistificar e dar uma visão geral de como um negócio se posiciona no mercado. Quais as variáveis que mais afetam este tipo de negócio? Como se comportam essas variáveis de mercado? Como levantar as informações necessárias para se tomar a iniciativa de empreender?
O alumínio oferece soluções eficazes para os desafios da rotina diária em diversos contextos. As principais aplicações nos dias de hoje estão ligadas à mobilidade, saúde e bem-estar, nutrição e preservação de alimentos, construção e conforto.

As embalagens de alumínio são importantes aliadas na preservação dos produtos, elas impedem a passagem de luz, umidade e oxigênio, evitando a deterioração dos mesmos. Por isso, são usadas no acondicionamento de alimentos, bebidas, medicamentos e produtos de higiene e limpeza, entre outros.

Neste contexto o alumínio supre uma importante fatia do mercado alimentício, com suas embalagens descartáveis utilizadas para acondicionar alimentos congelados, para transporte ou entrega de comida ao consumidor. Não só as grandes indústrias de alimentos se beneficiam de seu uso, mas também os mercados de pequenas empresas que vendem alimentos têm nessas embalagens um instrumento básico de apoio.

Sua fabricação é relativamente simples, pois consiste da aquisição de uma máquina apropriada e compra de bobinas de alumínio. Este negócio vem atraindo a atenção de empreendedores que buscam novas oportunidades de investimento.

Nesta “Idéia de Negócio” serão apresentadas informações importantes para o empreendedor que tem intenção de abrir uma indústria de embalagens de alumínio. Entretanto, este documento não substitui o Plano de Negócios, que é imprescindível para iniciar um empreendimento com alta probabilidade de sucesso. Para a elaboração do Plano de Negócio, deve ser consultado o SEBRAE mais próximo.
Mercado

O alumínio é produzido comercialmente há cerca de 150 anos e, nesse curto período, sua indústria se expandiu e está presente em seis regiões geográficas – África, América do Norte, América Latina, Ásia, Europa e Oceania.

De acordo com dados do Escritório Mundial de Estatísticas sobre Metais (WBMS, na sigla em inglês), o mercado mundial de alumínio registrou excedente de um milhão de toneladas em 2008, quase cinco vezes mais que o volume excedente de 178 mil toneladas em 2007. Ainda segundo a mesma entidade, o excesso do produto no mercado deve-se em parte ao aumento de 1,153 milhão de toneladas na produção, para 39,3 milhões de toneladas em 2008.

A demanda por alumínio primário no período cresceu 324 mil toneladas, para 38,26 milhões de toneladas no ano passado. Em janeiro deste ano, o mercado mundial continuou a registrar excedente de alumínio, de 200,8 mil toneladas, ante o déficit de 66 mil toneladas no mesmo período em 2008. A demanda por alumínio primário caiu 529 mil toneladas em janeiro, para 2,83 milhões de toneladas. Já a produção recuou menos: 262 mil toneladas, para 3,03 milhões de toneladas, de acordo com o WBMS.

No mercado interno, a maior parte do alumínio e seus produtos é aplicada nos segmentos de embalagens e transportes. Na seqüência, vem os segmentos de eletricidade, construção civil, bens de consumo, máquinas e equipamentos entre outros.

Inovações, tecnologia e serviços têm garantido forte expansão das aplicações do alumínio no setor de embalagens nos últimos anos. No mundo e em especial no Brasil, o mercado vem consumindo folhas e laminados em escala crescente na embalagem de produtos farmacêuticos, de higiene e limpeza, de bebidas e produtos alimentícios. O crescimento significativo da capacidade instalada de produção de laminados no País, que se deve às latas de alumínio para bebidas carbonatadas, que veio atender um consumo da ordem de mais de nove bilhões de unidades por ano. Um sinal de confiança dos consumidores e de sucesso sem precedentes em termos de solução para o mercado de embalagens.

As embalagens descartáveis de alumínio são versáteis em todos os sentidos. Com diversos tamanhos e formatos diferenciados, elas atendem as necessidades do mercado, levando praticidade e conservando a qualidade dos alimentos durante o período de armazenamento.

No segmento de embalagem, o alumínio se destina, principalmente, aos mercados farmacêutico, de higiene, alimentício e de bebidas, devido às suas características de leveza, versatilidade, resistência, durabilidade, beleza, funcionalidade e praticidade

Conforme estudo realizado pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas – IBRE / FGV para a ABRE – Associação Brasileira de Embalagens , a produção física da embalagem decresceu 0,61% em relação ao ano anterior, porém, a indústria de embalagens teve faturamento de R$ 36,3 bilhões em 2008, R$ 3 bilhões superior ao ano de 2007.

Segundo levantamento realizado com base nos índices da ABRE, a participação do alumínio no mercado de embalagens perfaz em média 20% dos produtos comercializados.

Uma pequena fábrica de embalagens pode atender ao mercado consumidor direto, que são os restaurantes, cozinhas industriais e lanchonetes, bem como atender a distribuidores, atacadistas, supermercados e mercearias, uma vez que, o uso do alumínio é consagrado em formas descartáveis para os segmentos industrial, institucional e doméstico. Tal fato é corroborado pelo perfil da vida moderna, caracterizada pela correria do dia-a-dia, pela falta de tempo e pela busca da praticidade principalmente no setor alimentício.

Os números movimentados pelo mercado de alimentação fora do lar (food service) – que em 2008 atingiu R$ 38,9 bilhões, de acordo com a Abia (Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação) – são bons indicadores do potencial de negócio do setor de embalagem para a o setor alimentício.

Muitas empresas que mantinham cozinhas em suas dependências para a elaboração dos alimentos passaram a comprar de pequenos restaurantes fornecedores. Prática que, além de reduzir custos, agradou os funcionários pela maior variedade na opção dos cardápios.

Hoje, os restaurantes e lanchonetes oferecem embalagens para viagem, não somente para aproveitar a oportunidade comercial, mas também para proporcionar aos clientes a opção de embalar o que sobrou da refeição.

Torna-se importante salientar que, o fornecimento da matéria-prima para a confecção destas embalagens está concentrado em poucas indústrias, o que acaba dificultando a compra em pequenos volumes, exigindo grande capacidade na negociação por parte dos empresários fabricantes de embalagem.
Localização

A melhor alternativa para instalação da fábrica de embalagens de alumínio é procurar um imóvel apropriado para alugar, onde além da área disponível para a instalação das máquinas, tenha ainda condições de ajustes para atender as normas técnicas e da vigilância sanitária.

Devem-se procurar opções que ofereçam espaços apropriados para guardar as matérias-primas e as embalagens, bem como disponha de escritório, refeitório e banheiros. Aconselha-se priorizar a instalação deste tipo de indústria em regiões ou cidades com grande densidade populacional e principalmente com grande concentração de empresas alimentícias. A proximidade dos fornecedores e dos acessos de escoamento da produção também devem ser levados em conta.

Outro aspecto que diz respeito à localização da empresa é que o não cumprimento das normas da Prefeitura quanto ao que rege o plano diretor para o exercício da atividade econômica pode inviabilizar seu registro.
Exigências

Para dar início ao processo de abertura da empresa é necessário que se cumpra os seguintes procedimentos:

1)Consulta Comercial
Antes de realizar qualquer procedimento para abertura de uma empresa deve-se realizar uma consulta prévia na prefeitura ou administração local. A consulta tem por objetivo verificar se no local escolhido para a abertura da empresa é permitido o funcionamento da atividade que se deseja empreender. Outro aspecto que precisa ser pesquisado é o endereço. Em algumas cidades, o endereço registrado na prefeitura é diferente do endereço que todos conhecem. Neste caso, é necessário o endereço correto, de acordo com o da prefeitura, para registrar o contrato social, sob pena de ter de refazê-lo.
Órgão responsável:
· Prefeitura Municipal;
· Secretaria Municipal de Urbanismo.
2) Busca de nome e marca
Verificar se existe alguma empresa registrada com o nome pretendido e a marca que será utilizada.
Órgão responsável:
· Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples) e Instituto Nacional de Propriedade Intelectual (INPI).
3) Arquivamento do contrato social/Declaração de Empresa Individual
Este passo consiste no registro do contrato social. Verifica-se também, os antecedentes dos sócios ou empresário junto a Receita Federal, por meio de pesquisas do CPF.
Órgão responsável:
· Junta Comercial ou Cartório (no caso de Sociedade Simples).
4) Solicitação do CNPJ
Órgão responsável:
· Receita Federal.
5) Solicitação da Inscrição Estadual
Órgão responsável:
· Receita Estadual

6) Alvará de licença e Registro na Secretaria Municipal de Fazenda
O Alvará de licença é o documento que fornece o consentimento para empresa desenvolver as atividades no local pretendido. Para conceder o alvará de funcionamento a prefeitura ou administração municipal solicitará que a vigilância sanitária faça inspeção no local para averiguar se está em conformidade com a Resolução RDC nº 216/MS/ANVISA, de 16/09/2004.
Órgão responsável:
· Prefeitura ou Administração Municipal;
· Secretaria Municipal da Fazenda.
7) Matrícula no INSS
Órgão responsável: Instituto Nacional de Seguridade Social; Divisão de Matrículas – INSS
Além do registro da empresa que pode ou não adotar o regime da lei geral das micro e pequenas empresas, qualquer atividade econômica deve respeitar o código de defesa do consumidor (CDC – Lei nº 9.870/1999), pois ele estabelece uma série de direitos e obrigações ao fornecedor e ao consumidor. A empresa deverá atender a algumas regras, tais como: responsabilidade sobre o fornecimento dos produtos e serviços, garantia da qualidade, rastreabilidade, entre outros.

É importante lembrar que o empreendedor está sujeito à fiscalização sanitária do estabelecimento e do produto. No que tange a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA, destaca-se:

- RESOLUÇÃO RDC Nº 20, DE 22 DE MARÇO DE 2007. Aprova o “Regulamento Técnico sobre Disposições para Embalagens, Revestimentos, Utensílios, Tampas e Equipamentos Metálicos em Contato com Alimentos”.

Estrutura

Além de apresentar condições físicas para a instalação das máquinas e acessórios de produção, a infra-estrutura para o negócio deve estar dividida em setores, para evitar a contaminação dos produtos e respeitar o fluxo de produção. As principais divisões a serem adotadas são:

• Recepção e armazenagem da matéria-prima;
• Processamento;
• Acabamento e montagem;
• Embalagem, armazenagem e expedição;
• Escritório;
• Refeitório e banheiros.

Salienta-se que todas as áreas devem estar imunes, ou isentas de interferência de insetos de qualquer natureza e arejadas. Também é importante que o empresário forneça boas condições de trabalho aos seus colaboradores, fato este que se reflete positivamente na qualidade e produtividade.

Outro aspecto a ser observado refere-se à adequação (ergonomia) dos postos de trabalho, pois em função da duração e caráter repetitivo das atividades realizadas, é muito importante que os funcionários estejam bem acomodados, em cadeiras e acessórios apropriados para evitar problemas de saúde ocupacional.
Pessoal

A necessidade por contratação de mão-de-obra cresce de acordo com o aumento da demanda, no entanto, a fabricação de embalagens consiste em uma atividade que se pode medir com grande precisão o volume a ser processado diariamente por cada membro da equipe.

Por trabalhar com embalagens que vão armazenar alimentos, é imperativo que determinadas condições sejam respeitadas por todos os colaboradores, como asseio pessoal, uso de uniformes, técnicas de manipulação e processamento dos produtos, dentre outras.

Por se tratar de atividade basicamente manufatureira, e que absorve muitas pessoas com baixo grau de instrução, torna-se uma atividade com alta taxa de rotatividade, ou seja, as pessoas começam a trabalhar e desistem com muita facilidade. Este fato gera grandes problemas de continuidade do trabalho, garantia de qualidade e cumprimento aos prazos contratados. Neste sentido, o empresário deve tomar especial atenção para a seleção de pessoas a serem contratadas.

Como estimativa para analisar a operação de uma fábrica de embalagens de alumínio, com capacidade média de produção de 2.400 (dois mil e quatrocentos) pratos e tampas por hora no tamanho 8 e 9, considera-se a necessidade inicial de dois funcionários na produção e um no administrativo para compor a equipe de trabalho, além da presença em tempo integral do empresário.
Equipamentos

É muito importante que o empresário, antes de iniciar suas atividades, pesquise e visite outras fábricas semelhantes, assim como peça para ver os equipamentos dos fornecedores em funcionamento. Estes cuidados iniciais são de grande utilidade para a escolha dos melhores e mais apropriados equipamentos (segundo as condições financeiras) para iniciar o novo negócio.

Somente depois desta pesquisa o empresário deve escolher os equipamentos, instalações e materiais diversos bem como as principais técnicas de produção a serem adotadas.

Os equipamentos essenciais para a instalação de uma fábrica de embalagens de alumínio são os seguintes:

- Máquina para embalagens de Marmitex Industrial e Compaquitador
– Mesas e equipamentos de apoio;
– Prateleiras para estoques.

Para o escritório é necessário computador e internet, móveis, impressora e telefone/fax. Um veículo apropriado para transporte de mercadorias é indispensável para o bom atendimento das necessidades da empresa e dos clientes.
Matéria Prima

A gestão de estoques no varejo é a procura do constante equilíbrio entre a oferta e a demanda. Este equilíbrio deve ser sistematicamente aferido através de, entre outros, os seguintes três importantes indicadores de desempenho:
Giro dos estoques: o giro dos estoques é um indicador do número de vezes em que o capital investido em estoques é recuperado através das vendas. Usualmente é medido em base anual e tem a característica de representar o que aconteceu no passado.
Obs.: Quanto maior for a freqüência de entregas dos fornecedores, logicamente em menores lotes, maior será o índice de giro dos estoques, também chamado de índice de rotação de estoques. Cobertura dos estoques: o índice de cobertura dos estoques é a indicação do período de tempo que o estoque, em determinado momento, consegue cobrir as vendas futuras, sem que haja suprimento. Nível de serviço ao cliente: o indicador de nível de serviço ao cliente para o ambiente do varejo de pronta entrega, isto é, aquele segmento de negócio em que o cliente quer receber a mercadoria, ou serviço, imediatamente após a escolha; demonstra o número de oportunidades de venda que podem ter sido perdidas, pelo fato de não existir a mercadoria em estoque ou não se poder executar o serviço com prontidão.
Portanto, o estoque dos produtos deve ser mínimo, visando gerar o menor impacto na alocação de capital de giro. O estoque mínimo deve ser calculado levando-se em conta o número de dias entre o pedido de compra e a entrega dos produtos na sede da empresa.
A condição vital para a garantia da qualidade na produção de uma fábrica de embalagens é sem dúvida relacionada com a qualidade das chapas de alumínio utilizadas. Existem vários tipos de embalagens, com formatos e capacidades diferentes, mas a principal matéria-prima é a mesma: bobinas de chapa de alumínio com espessuras entre 0,02 e 0,05 milímetros.

A aquisição da matéria-prima deve ser cuidadosa, uma vez que o valor negociado para a compra desta é um dos fatores que separa, de forma extremamente tênue, o lucro do prejuízo. O empresário deve levar em conta possíveis variações na cotação do alumínio, uma vez que a compra deste insumo pode representar 90% dos custos totais de produção.

Outros produtos utilizados são caixas de papelão para o transporte e sacos plásticos para a proteção dos produtos. Como existe demanda para mais de um tipo de embalagem, o empresário deve ficar atento com seus níveis de estoque de bobinas de alumínio nas diferentes espessuras, bem como nas caixas de papelão usadas para embalar e transportar as mercadorias.

Outro fator a ser levado em conta na produção das embalagens é o controle das perdas de matéria-prima, o qual as empresas devem adotar como mecanismo de controle das perdas a aplicação de diversos testes e ensaios antes de iniciar a produção. O objetivo é o melhor aproveitamento do insumo básico, já que o índice de perda nesse ramo gira em torno dos 30%.

Salienta-se que o conjunto de cuidados acima apresentados, além das corretas práticas de embalagem, armazenagem e transporte podem conferir maior qualidade aos produtos fabricados.
Processos Produtivos

A primeira etapa do processo produtivo consiste do posicionamento da bobina de alumínio no cavalete de apoio. Este cavalete deve estar posicionado no início do processo de conformação, onde uma guilhotina efetua o corte da chapa. Após o corte, as chapas seguem para a cortadeira circular que vai estabelecer o diâmetro da embalagem. Por último as peças cortadas seguem para a prensa, onde assumem a forma final.

As tampas, que são feitas de chapas mais finas, passam pelo processo de corte na guilhotina e na cortadeira circular. Depois são montadas as caixas para transporte com centenas de peças encaixadas umas nas outras.

Para cada formato de embalagem existe uma ferramenta de corte e de prensagem diferente. Deve-se ter cuidado com a higiene das ferramentas, assim como do ambiente e do manuseio das peças para impedir a contaminação das embalagens de alumínio produzidas.
Automação

Uma tendência cada vez mais presente nas empresas que buscam o sucesso é automatizar as diversas atividades desenvolvidas. A automação melhora o dinamismo dos serviços oferecidos, reduzindo filas, tempo de espera, agilizando a emissão de notas fiscais, entre outros. Existem muitas opções que possibilitam essa facilidade: caixas eletrônicas isoladas ou integradas, impressoras para preenchimento automático de cheques, impressoras de notas fiscais nos caixas, código de barras nos produtos, banco de dados sobre cada produto ou serviço e cadastro de clientes.

A automação no processo de vendas, controle de estoques e administrativo financeiro é necessária, porém não é obrigatória. Assim entende-se que inicialmente com um ou dois microcomputadores será possível viabilizar uma gestão automatizada.

Para este processo automatizado o ideal é a aquisição de um software para auxiliar na gestão. Caso o empreendedor queira deixar esta opção para um segundo momento será necessário que tais controles sejam executados provisoriamente em planilhas eletrônicas construídas segundo as necessidades existentes. Posteriormente o empresário deve identificar no mercado um sistema integrado capaz de auxiliar em todo o processo administrativo-financeiro, comercial e operacional.

Há no mercado uma boa oferta de sistemas para gerenciamento de pequenos negócios. Para uma produtividade adequada, devem ser adquiridos sistemas que integrem as compras, as vendas e o financeiro. Os softwares possibilitam o cadastro de clientes e fornecedores, serviço de mala-direta para clientes e potenciais clientes, cadastro de móveis e equipamentos, controle de contas a pagar e a receber, fornecedores, folha de pagamento, fluxo de caixa, fechamento de caixa etc.

Deve-se procurar softwares de custo acessível e compatível com uma pequena empresa. O ideal inclusive que procure apoio de profissionais qualificados para prestar uma assessoria na definição de um software amigável e de fácil manuseio para tirar o máximo de produtividade da ferramenta. Seguem algumas opções:

Automatiza Financeiro.
Sistema CRGNET.
Financeiro.
Orçamento Empresarial.
SIC – Sistema Integrado Comercial.
PDV Empresarial Professional.
Sintec-pro.
InstantCashBook.
Direct Control Standard.
Desktop Sales Manager.
SGCON – Sistema Gerencial Contábil.
Advanced Accounting Powered by CAS.
Contact your Client Professional.
JFinanças Empresa.
GPI – Gerenciador Pessoal Integrado.
SGI – Sistema Gerencial Integrado.
MaxControl.
Apexico VAT-Books.
Yosemite Backup Standard.
ERP Lite Free.
II Worklog.
Business Reports
Fortuna 6.0
Terrasoft CRM.
Plano de Contas Gerencial.
Spk Business.
Controle de estoques.
Magic Cash.
Canal de Distribuição

As formas de fazer chegar os produtos ao consumidor final são extremamente importantes, e dividem-se em duas categorias básicas: a primeira, onde o empresário promove a venda diretamente aos clientes finais, mantendo para isto uma equipe de vendedores que percorre periodicamente os clientes tirando pedidos, e a segunda, onde o empresário opta por trabalhar com distribuidores, sendo neste caso os responsáveis por realizar a venda e a entrega dos produtos.

Para pequenos volumes e empresas de pequeno porte, trabalhar com distribuidores acaba sendo inviável, pois as margens de negociação de preços e obtenção de lucro são pequenas e geralmente não se mostram interessantes, a saída neste caso consiste em montar uma boa equipe de venda que consulte os clientes, avalie a receptividade dos produtos e serviços, ouça sugestões, reclamações e tire pedidos.
Investimentos

Investimento consiste na aplicação de algum tipo de recurso esperando, um retorno superior aquele investido, em um determinado período de tempo. Investimento compreende todo o capital empregado para iniciar e viabilizar o negócio até o momento de sua auto-sustentação. Estes investimentos podem ser caracterizados como:

Investimento fixo – compreende o capital empregado na compra de imóveis, equipamentos, móveis, utensílios, instalações, reformas etc.;
Investimentos pré-operacionais – são todos os gastos ou despesas realizadas com projetos, pesquisas de mercado, registro da empresa, projeto de decoração, honorários profissionais e outros;

A decisão de iniciar um negócio de fabricação de embalagens de alumínio passa, necessariamente, por um correto levantamento de quanto dinheiro e esforço o empresário irá investir para iniciar o negócio. Este fato é decisivo para que os riscos de ocorrerem problemas financeiros sejam menores. O empresário deve pesquisar o preço das máquinas, equipamentos e acessórios a serem adquiridos para o início das atividades.

Deve-se ressaltar que cada situação é particular e o empreendedor vai definir quais os equipamentos pretende adquirir para iniciar suas atividades. A fim de exemplificar a estruturação dos investimentos apresenta-se a seguir uma lista dos principais equipamentos a serem adquiridos para a produção de aproximadamente 2.400 (dois mil e quatrocentos) pratos e tampas por hora no tamanho 8 e 9.

- Máquina para embalagens de Marmitex Industrial e Compaquitador – R$ 10.500,00
– Mesas e equipamentos de apoio – R$ 1.000,00
– Prateleiras para estoques – R$ 2.000,00
– Equipamentos para escritório – R$ 4.000,00

Perfazendo um total aproximado de R$ 17.500,00, além da estimativa de outros R$ 15.000,00 para reforma de estrutura do imóvel a ser ocupado, instalações, ajustes, etc. Desta forma, estima-se um investimento inicial de aproximadamente, R$ 32.500,00.

Os valores acima relacionados são apenas uma referência para constituição de um empreendimento dessa natureza. Para dados mais detalhados é necessário saber exatamente quais produtos serão oferecidos pela empresa e qual o seu porte. Nesse sentido, aconselhamos ao empreendedor interessado em constituir esse negócio, a realização de levantamento mais detalhado sobre os potenciais investimentos depois de elaborado seu plano de negócio (para elaboração do plano de negócio procure o Sebrae do seu estado). Além disso, os valores acima irão variar conforme a região geográfica que a empresa irá se instalar, da necessidade de reforma do imóvel, do tipo de mobiliário escolhido, etc.
Capital de Giro

Custos

São todos os gastos realizados na produção de um bem ou serviço e devem ser considerados posteriormente no preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria-prima e insumos consumidos no processo de produção.

O cuidado na administração e redução de todos os custos envolvidos na compra, produção e venda de produtos ou serviços que compõem o negócio, indica que o empreendedor poderá ter sucesso ou insucesso, na medida em que encarar como ponto fundamental a redução de desperdícios, a compra pelo melhor preço e o controle de todas as despesas internas. Quanto menores os custos, maior a chance de ganhar no resultado final do negócio.

É fundamental que o empresário chegue ao nível de detalhamento do custo unitário de produção, podendo desta forma calcular a margem de contribuição unitária de cada produto.

Outro fator extremamente relevante para a análise dos custos está relacionado ao correto aproveitamento da capacidade de produção dos colaboradores. Quanto maior for a produção, menor será a incidência do custo fixo sobre os produtos, pois, este custo é dividido (segundo critério apropriado) por todos os produtos produzidos, representando um menor custo unitário e melhorando a margem de contribuição.
A relação a seguir procura apresentar de forma simplificada os principais itens de custo mensal que devem ser absorvidos pela fábrica de embalagem de alumínio destinadas ao armazenamento e transporte de alimentos.

• Aluguel – R$ 1.000,00
• Matéria-prima – R$ 8.000,00
• Luz, telefone, água, internet – R$ 800,00
• Contador – R$ 450,00
• Salários diretos (mais encargos) – R$ 2.000,00
• Limpeza, Higiene e Manutenção – R$ 820,00
• Despesas correntes – R$ 500,00
• Outras despesas mensais com insumos – R$ 500,00
• Pró-labore – R$ 2.000,00

Perfazendo, aproximadamente, um custo total mensal de R$16.070,00. Salienta-se que os valores são meramente ilustrativos e dependem muito da estrutura do negócio, assim como não foram previstos os impostos e tributos, pois estes dependem do tipo de registro adotado pela empresa.
Como agregar valor

Os empresários devem ter em mente que fatores como qualidade (item obrigatório), prazo e preços são condições mínimas para que uma empresa permaneça no mercado. O diferencial a ser oferecido é fator determinante na preferência do cliente o qual agrega valor ao negócio, chegando ao ponto do consumidor estar disposto a pagar mais caro pelo produto, em relação a outras marcas.

Estes diferenciais dependem da relação entre os negócios, e podem estar fundamentados em ofertas de serviço distintas da maioria dos concorrentes, como por exemplo: entrega, flexibilidade nos pedidos, na forma de pagamento, capacidade para realização de serviços especializados, variação no mix dos produtos, entre muitas outras opções.

A empresa pode ainda agregar valor aos produtos seguindo determinadas tendências do mercado como é o caso dos produtos ecologicamente sustentáveis. A popularização dos termos “orgânico”, “consciência ecológica” e “sustentabilidade” se faz cada vez mais presente nos mercados nacional e internacional. Nesse sentido, o empreendedor pode optar por oferecer embalagens elaboradas à partir de produtos recicláveis (alumínio por exemplo) agregando assim valor ao produto.

O processo mais utilizado para aproveitamento e reciclagem de material pelas empresas, atualmente, é denominado como logística reversa. Esta é a área da logística que trata dos aspectos de retornos de produtos, embalagens ou materiais ao seu centro produtivo. 

Antigamente esse sistema funcionava muito bem na indústria de bebidas, com a reutilização das garrafas. O produto chegava ao consumidor e retornava ao seu centro produtivo para que sua embalagem fosse reutilizada e voltasse ao consumidor final. O processo era contínuo e aparentemente cessou a partir do momento em que as embalagens passaram a ser descartáveis.
Hoje, empresas incentivadas pelas Normas ISO 14000 e preocupadas com a gestão ambiental, começaram a reciclar materiais e embalagens descartáveis, como latas de alumínio, garrafas plásticas e caixas de papelão, entre outras, que passaram a se destacar como matéria-prima e deixaram de ser tratadas como lixo.

Ou seja, a logística reversa hoje funciona no processo de reciclagem, uma vez que esses materiais retornam a diferentes centros produtivos em forma de matéria prima. Não voltam para a indústria de uma forma direta, passando por operativas de reciclagem e atravessadores. A logística reversa é utilizada em prol da empresa, transformando materiais, que seriam inutilizados, em matéria- prima, reduzindo assim, os custos para a empresa.

Outro fator que representa grande diferencial consiste da oferta de equipamentos complementares, que podem ser vendidos ou emprestados, e que facilitam o uso e a manipulação das embalagens.
Divulgação

A divulgação de um produto tem como objetivo construir uma imagem favorável na mente dos consumidores atuais e em potencial. Em outras palavras: a divulgação coloca a empresa entre as elegíveis para atender às necessidades do comprador. A divulgação é um componente fundamental para o sucesso de uma fábrica de tijolos ecológicos. As campanhas publicitárias devem ser adequadas ao orçamento da empresa, à sua região de abrangência e às peculiaridades do local.

Além das influências do macroambiente, a opinião de um consumidor é formada principalmente pela forma como a empresa faz a sua divulgação, somada às experiências com o produto, e às recomendações de pessoas próximas.

No caso específico da fabricação de embalagens de alumínio, não adianta pensar em divulgação em massa, propaganda, ou qualquer forma de colocar a empresa na mídia. Os clientes como supermercados, restaurantes, padarias, pizzarias e mercearias já possuem as estratégias de divulgação bem definidas. Cabe a empresa promover a estruturação de seus serviços e a apresentação correta ao cliente direto.

É interessante que o empresário elabore um folder (panfleto de divulgação) que relacione os produtos ofertados, a capacidade produtiva da empresa e também mostre algumas fotos da estrutura e da equipe, bem como relacione alguns clientes para consulta (lembrando de pedir autorização aos mesmos para isto), e com este material saia fazendo visitas a novos clientes. Outras formas de propaganda são os anúncios em jornais de bairro, revistas locais. A mala direta é um sistema barato e simples, no qual pode ser utilizado o cadastro de clientes, obtido de forma rápida e sem maiores custos, por meio do banco de dados dos freqüentadores, ou uma relação de conhecidos do proprietário, ou da compra de listagens vendidas no mercado por empresas de marketing direto.

A utilização do telefone é o meio de contato mais importante. Realizar vendas, oferecer promoções e produtos especiais em períodos de baixa comercialização. A promoção de vendas é uma estratégia bastante utilizada pelos empresários, incluindo: descontos, brindes, estímulos para a compra de quantidades maiores etc.

A divulgação através de site na internet deve ser considerada, pois o acesso de pessoas à rede cresce permanentemente e em larga escala.

Como os supermercados e mercearias representam a melhor das opções para obtenção de grandes volumes de venda, o empresário deve ficar atento ao modo como são efetuadas as negociações e divulgações dos produtos. Geralmente são cobradas bonificações para concretizar o cadastro dos produtos e sua exposição nas gôndolas dos clientes.
Informaçes Legais

Eventos

EVENTOS NACIONAIS

Junho

Fispal Tecnologia
Anhembi – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3598-7800 – Fax: (11) 3598-7801
http://www.fispal.com

I Fórum Latino-Americano de Embalagens Plásticas Flexíveis
Auditório Oeste do Pavilhão de Exposições do Anhembi – São Paulo – SP
Tel.: (11) 3598-7857
http://www.fispal.com

HOUSEHOLD 2010 – Seminário & Exposição
Centro de Convenções Frei Caneca – São Paulo – SP
Tel.: (11) 3846-1577
eventos@freedom.inf.br
http://www.freedom.inf.br/hh2010/portugues/default.asp

Química & Petroquímica – Feira Internacional para a Indústria Química e Petroquímica
Anhembi – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3060-5000 – Fax: (11) 3060-5001
quimica-petroquimica@reedalcantara.com.br
http://www.quimica-petroquimica.com.br

ExpoPrint Latim America 2010
São Paulo/SP
http://www.expoprint.com.br

Julho

TRANSMODAL
Centro de Convenções Edson Queiroz – Fortaleza/CE
Tel.: (81) 3031-1480 / 8632-3192
atendimento@montte.com.br / comercial2@montte.com.br

Tecnoplast 2010
Centro de Exposições da FIERGS – Porto Alegre/RS
Tel.: (51) 3338-0800
fcem@fcem.com.br
http://www.feiratecnoplast.com.br

Agosto

Informex Latin America
Centro de Convenções AMCHAM – São Paulo – SP
Tel.: (11) 4689-1935
informex@ubmbrazil.com.br
http://www.informexlatam.com.br

Embala Nordeste 2010
Centro de Convenções de Pernambuco – Olinda/PE
Tel.: (11) 3567-1890
greenfield@greenfield-brm.com
http://www.greenfield-brm.com

Interplast 2010
Complexo Expoville – Joinville/SC
Tel.: (47) 3451-3000
http://www.feiras.messebrasil.com.br/interplast/inicio.htm

Setembro

TecnoBebida 2010: 8ª Feira para Indústria de Bebidas na América Latina
Transamerica Expo Center (TEC) – São Paulo/SP
Tel.: (11) 4613-2019 – Fax: (11) 4613-2031
tecnobebida@nm-brasil.com.br
http://www.tecnobebida.com.br

Feitintas 2010 – Feira da Indústria de Tintas e Vernizes & Produtos Correlatos
Centro de Exposições Imigrantes – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3262-4566 – Fax.: (11) 3289-5780
http://www.feitintas.com.br

Outubro

2ª Pack, Print & Sign, Feira da Indústria da Embalagem, Gráfica e Impressão Digital
Megacentro Expoville – Joinville/SC
Tel.: (47) 3028-0002
eurofeiras@eurofeiras.com.br
http://www.eurofeiras.com.br

Novembro

FIMAI – Feira Internacional de Meio Ambiente Industrial e Sustentabilidade
Expo Center Norte – São Paulo/SP
Tel.: (11) 3917-2878
rmai@rmai.com.br
http://www.fimai.com.br

EVENTOS INTERNACIONAIS

Junho

The Sealing Technology for Packaging Processes Seminar
Philadelphia, PA
Tel: 1.973.428.8985 – Fax: 1.973.884.1699
jdelfino@sensorexpert.com

Propak Asia 2010
Bangkok, Thailand
Tel: +66.0.2615.1255 – Fax.+66.0.2615.2991-3
propak@besallworld.com
http://www.propakasia.com

Expo Pack México 2010
Ciudad de México, México
Tel.: + 52 (55) 5545-4254 / (55) 5545-4302
info@expopack.com.mx
http://www.expopack.com.mx

Setembro

CHILEPLAST 2010, the VI th International Plastic Industry Fair
Espacio Riesco, Santiago – Chile
Tel.: (56 2) 333 85 11 Ext.: 12
exhibits@exhibits.cl
http://www.chileplast.cl

Labelexpo Americas 2010
EUA
Tel.: +1 262 754 6931
tjanowski@labelexpo.com
http://www.labelexpoamericas.com

World Food Moscow
Expocentre – Moscovo – Rússia
Tel.: +44 (0) 207 596 5086
tony.higginson@ite-exhibitions.com
http://www.worldfood-moscow.com/eng

China Paper 2010
Intex – Shanghai China
Tel.: (55 11) 2218.0005
selma@gova.com.br
http://www.gova.com.br

Outubro

GRAPH EXPO and Converting
McCormick Place – Chicago – EUA
Tel.: (703) 264-7200 – Fax: (703) 620.9187
info@gasc.org
http://www.gasc.org

Argentina Gráfica 2010
La Rural Predio Ferial – Buenos Aires – Argentina
Tel.: (54 11) 4631-5120 – Fax: (54 11) 4633-7327
http://www.argentinagrafica.com

K 2010 – Salão Internacional de Plástico e Borracha, Dusseldorf, Alemanha
Dusseldorf, Alemanha
http://www.k-online.de

Pack Expo International 2010
McCormick Place, Chicago, Il. Estados Unidos
Tel.: 703.243.8555 1.888 – Fax: 703-243-8556
pmmiwebhelp@pmmi.org

Novembro

Print World 2010
Direct Energy Exhibition Centre – Toronto – Canadá
Tel.: 1-800-331-7408, (905) 625-7070 – Fax: 905-625-4856
http://www.printworldshow.com

Emballage 2010
França / Paris
Tel.: +33 (0)1 76 77 14 21 – Fax: +33 (0)1 53 30 95 21
jerome.letu@comexposium.com
http://www.emballageweb.com
Entidades

Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.
Endereço: Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) – Trecho 5, Área Especial 57, Brasília (DF) – CEP: 71205-050 , Fax: (61) 3462 – 5772
Correio Eletrônico: ouvidoria@anvisa.gov.br
Site: http://www.anvisa.gov.br

Associação Brasileira do Alumínio – ABAL.
Rua Humberto I, n° 220 – 4° andar – Vila Mariana – CEP: 04018-030 – São Paulo – SP. Telefone: 55 11 5904-6450 – Fax: 55 11 5904-6459
Site: http://www.abal.org.br

Associação Brasileira de Embalagem – ABRE.
Rua Oscar Freire, 379 – 15º andar – cj. 152 – São Paulo – SP – 01426-001
Tel: 00-55-11-3082-9722 | Fax: 00-55-11-3081-9201
Site: http://www.abre.org.br

Associação Brasileira das Indústrias da Alimentação – ABIA.
Av.Brig. Faria Lima, 1.478 11º andar 01451-001 São Paulo – SP, telefones: 55 11 3030.1353 Fax: 55 11 3814.6688
Site: http://www.abia.org.br

Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT.
Rua Minas Gerais, 190 – Higienópolis, CEP: 01244-010 – São Paulo – SP – Brasil, Telefone (11) 3017-3600
e-mail: atendimento.sp@abnt.org.br
Site: http://www.abnt.org.br

Centro de Tecnologia de Embalagem – CETEA.
Av. Brasil, 2880 – Caixa Postal: 139, Campinas, SP – 13070-178 – Brasil
Telefones: 55 19 3743 1900, Fax: 55 19 3241 8445
Site: http://www.cetea.ital.org.br

Companhia Brasileira de Alumínio – CBA.
Pça. Ramos de Azevedo, 254, CEP: 01037-912 – São Paulo – SP
Caixa Postal 4624, (11) 3224-7000
Site : http://www.cia-brasilei ra-aluminio.com.br
Normas Técnicas

Norma técnica é um documento, estabelecido por consenso e aprovado por um organismo reconhecido que fornece para um uso comum e repetitivo regras, diretrizes ou características para atividades ou seus resultados, visando a obtenção de um grau ótimo de ordenação em um dado contexto. (ABNT NBR ISO/IEC Guia 2).

Participam da elaboração de uma norma técnica a sociedade, em geral, representada por: fabricantes, consumidores e organismos neutros (governo, instituto de pesquisa, universidade e pessoa física).

Toda norma técnica é publicada exclusivamente pela ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas, por ser o foro único de normalização do País.

1. Normas específicas para uma Fábrica de Embalagens de Alumínio:

ABNT NBR 14230:2002 – Alumínio e suas ligas – Embalagens descartáveis para alimentos – Pratos redondos números 4, 6, 7, 8 e 9.

Esta Norma fixa as condições exigíveis das folhas de alumínio e suas ligas para embalagens descartáveis (pratos redondos nº 4, 6, 7, 8 e 9) para alimentos e padroniza estas embalagens.

ABNT NBR 15074:2004 – Alumínio e suas ligas – Bandejas descartáveis para alimentos.

Esta Norma fixa os requisitos exigíveis para bandejas descartáveis para alimentos produzidas com folhas de alumínio e suas ligas.

2. Normas aplicáveis na execução de Fábrica de Embalagens de Alumínio:

ABNT NBR 15842:2010 – Qualidade de serviço para pequeno comércio – Requisitos gerais.

Esta Norma estabelece os requisitos de qualidade para as atividades de venda e serviços adicionais nos estabelecimentos de pequeno comércio, que permitam satisfazer as expectativas do cliente.

ABNT NBR 12693:2010 – Sistemas de proteção por extintores de incêndio.

Esta Norma estabelece os requisitos exigíveis para projeto, seleção e instalação de extintores de incêndio portáteis e sobre rodas, em edificações e áreas de risco, para combate a princípio de incêndio.

ABNT NBR 5410:2004 Versão Corrigida: 2008 – Instalações elétricas de baixa tensão.

Esta Norma estabelece as condições a que devem satisfazer as instalações elétricas de baixa tensão, a fim de garantir a segurança de pessoas e animais, o funcionamento adequado da instalação e a conservação dos bens.

ABNT NBR 5413:1992 Versão Corrigida:1992 – Iluminância de interiores.

Esta Norma estabelece os valores de iluminâncias médias mínimas em serviço para iluminação artificial em interiores, onde se realizem atividades de comércio, indústria, ensino, esporte e outras.

ABNT NBR 5419:2005 – Proteção de estruturas contra descargas atmosféricas.

Esta Norma fixa as condições de projeto, instalação e manutenção de sistemas de proteção contra descargas atmosféricas (SPDA), para proteger as edificações e estruturas definidas em 1.2 contra a incidência direta dos raios. A proteção se aplica também contra a incidência direta dos raios sobre os equipamentos e pessoas que se encontrem no interior destas edificações e estruturas ou no interior da proteção impostas pelo SPDA instalado.

ABNT NBR 5626:1998 – Instalação predial de água fria.

Esta Norma estabelece exigências e recomendações relativas ao projeto, execução e manutenção da instalação predial de água fria. As exigências e recomendações aqui estabelecidas emanam fundamentalmente do respeito aos princípios de bom desempenho da instalação e da garantia de potabilidade da água no caso de instalação de água potável.

ABNT NBR 9050:2004 Versão Corrigida: 2005 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos.

Esta Norma estabelece critérios e parâmetros técnicos a serem observados quando do projeto, construção, instalação e adaptação de edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos às condições de acessibilidade.

ABNT NBR IEC 60839-1-1:2010 – Sistemas de alarme – Parte 1: Requisitos gerais – Seção 1: Geral.

Esta Norma especifica os requisitos gerais para o projeto, instalação, comissionamento (controle após instalação), operação, ensaio de manutenção e registros de sistemas de alarme manual e automático empregados para a proteção de pessoas, de propriedade e do ambiente.

Glossário

As definições abaixo foram retiradas de diferentes artigos de revistas técnica e científicos especializadas em cada área, bem como, diferentes sites de consultas.

Alumínio – É um metal leve, macio e resistente. Possui um aspecto cinza prateado e fosco, devido à fina camada de óxidos que se forma rapidamente quando exposto ao ar. O alumínio não é tóxico como metal, não- magnético, e não cria faíscas quando exposto à atrito. É muito maleável, muito dúctil, apto para a mecanização e fundição, além de ter uma excelente resistência à corrosão e durabilidade devido à camada protetora de óxido. Por ser um bom condutor de calor, é muito utilizado em panelas de cozinha.

Automação – (do inglês Automation), é um sistema automático de controle pelo qual os mecanismos verificam seu próprio funcionamento, efetuando medições e introduzindo correções, sem a necessidade da interferência do homem. Automação é a aplicação de técnicas computadorizadas ou mecânicas para diminuir o uso de mão-de-obra em qualquer processo, especialmente o uso de robôs nas linhas de produção. A automação diminui os custos e aumenta a velocidade da produção.

Consumidor – Que consome ou aquele que compra para o gasto próprio.

ECF-MFD – Impressora Fiscal Memória de Fita-Detalhe – veio para que o varejista pudesse prescindir daquele barracão cheio de bobinas de impressão usadas contendo os detalhes das operações. Além do custo destas vias, havia ainda o custo de armazenagem por um tempo superior a 6 anos.
Empreendedor – Aquele que empreende.
Empreendimento – Ato, efeito ou resultado de empreender algo com fim determinado. Constitui um conjunto de atividades e obrigações, a serem implementados pela organização, e que, devido ao grau de complexidade e compromissos associados, exigem o estabelecimento de um modelo de gerenciamento, centralizado ou não, capaz de promover a identificação, priorização, autorização, gerenciamento e controle de projetos, programas e outros trabalhos relacionados, a fim de atender aos requisitos dos projetos e cumprir as diretrizes estratégicas da empresa (entendida no sentido amplo). Podem esses empreendimentos todos incluir-se sob o manto da administração, usualmente conjugada com a economia e, quando cabível, com a engenharia.

Fábrica – Estabelecimento ou lugar onde se fabrica alguma coisa.

FGTS – O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é constituído pelo total dos depósitos mensais que os empregadores depositam nas contas FGTS abertas na Caixa Econômica Federal em nome dos seus empregados, cuja finalidade é dar suporte financeiro aos trabalhadores, criação de um pecúlio, principalmente na hipótese de demissão sem justa causa.

Folder – Nome que é utilizado no Brasil para designar um tipo de impresso publicitário.

Logística – É a área da gestão responsável por prover recursos, equipamentos e informações para a execução de todas as atividades de uma empresa. Entre as atividades da logística estão o transporte, movimentação de materiais, armazenagem, processamento de pedidos e gerenciamento de informações.

MIX – variação de produtos a serem comercializados de forma conjunta ou separadamente.

IPTU – O Imposto sobre a propriedade predial e territorial urbana (IPTU) é um imposto brasileiro instituído pela Constituição Federal cuja incidência se dá sobre a propriedade urbana.

Layout – A configuração de instalação. Estabelece a relação física entre as várias atividades. O layout pode ser simplesmente o arranjar ou o rearranjar das várias máquinas ou equipamentos até se obter a disposição mais agradável.

Lucratividade – Que dá lucro ou vantagem; vantajoso, útil, lucroso.

Lojista – Pessoa que tem loja de comércio.

Marketing – Conjunto de estratégias e ações que provêem o desenvolvimento, o lançamento e a sustentação de um produto ou serviço no mercado consumidor.

NBR – Norma Brasileira.

NR – Normas regulamentadoras.

Orçamentário – Relativo a orçamento; orçamental. Orçamento = é o plano financeiro estratégico de uma administração para determinado exercício. Um orçamento, em contabilidade e finanças, é a expressão das receitas e despesas de um indivíduo, organização ou governo relativamente a um período de execução (ou exercício) determinado, geralmente anual, mas que também pode ser mensal, trimestral, plurianual, etc.

PIB – O Produto Interno Bruto representa a soma (em valores monetários) de todos os bens e serviços finais produzidos em uma determinada região (qual seja, países, estados, cidades), durante um período determinado (mês, trimestre, ano, etc). O PIB é um dos indicadores mais utilizados na macroeconomia com o objetivo de mensurar a atividade econômica de uma região.

PDV – Microcomputador profissional. Projetado para utilização na Automação Comercial, ideal para uso de Check-outs.
Pessoas jurídicas – é a entidade abstrata com existência e responsabilidade jurídicas como, por exemplo, uma associação, empresa, companhia, legalmente autorizadas.

Pin Pad – Equipamento recomendado para aplicações de TEF para efetuar o pagamento com cartão de crédito ou débito.
Prensa – Máquina que utiliza a pressão para transformar a massa oriunda da mistura entre solo, cimento e água em tijolos ecológicos.

Produtividade – Relação entre a quantidade ou valor produzido e a quantidade ou valor dos insumos aplicados à produção; eficiência produtiva.
Produtor – Que produz; produtivo.

Segmentos de mercado – Cada um dos grupos de consumidores determinado no processo de segmentação.

TEF – Transferência Eletrônica de Fundos, com recebimento de cartão de crédito/débito.
Dicas de Negócio

Antes de abrir um négócio dessa natureza o empreendedor deve atentar para alguns aspectos importante. Seguem algumas dicas:

• É recomendável que as empresas clientes sejam visitadas e se possa fazer um levantamento das principais necessidades apresentadas. É muito arriscado iniciar um negócio baseado apenas nas promessas de um único cliente;
• Uma breve consulta ao plano diretor na prefeitura já permite identificar se é possível ou não a utilização de determinado imóvel para iniciar o negócio;
• Assim que possível o empresário deve procurar ajuda profissional para a seleção e contratação de pessoas. Existem muitas agências especializadas neste tipo de atividade, que acabam ajudando a evitar muitas dores de cabeça e prejuízos para a empresa;
• A melhor maneira de conduzir a negociação de preços e prazos com os clientes é mostrando organização e conhecimento sobre os processos e os custos de operação da fábrica;
• Quanto mais precisa for a pesquisa a respeito das necessidades de investimento, menores as surpresas quanto à previsão financeira para iniciar o novo negócio, e isto evita inclusive a armadilha de afundar em dívidas por falha na programação financeira;
• Para descobrir o que pode agregar valor na relação com o cliente, o empresário deve estar atento aos detalhes e sempre que possível precisa escutar seus clientes, conversar com eles e descobrir o algo mais que vai cativar a relação comercial;
• O empresário deve ter em mente que é importantíssimo acompanhar e questionar constantemente o prestador de serviço de contabilidade.
• É um ramo de atuação onde as decisões de compra pelo cliente é, geralmente, com base na diferença de centavos no preço do produto, por isso a redução de desperdício deve ser uns dos principais objetivos dentro da empresa, sem esquecer que agregação de valor no atendimento pode minimizar os efeitos da concorrência com base em preço.
Caracteristicas

Em uma atividade como a fabricação de embalagens de alumínio, que é essencialmente industrial, a qualificação técnica para a realização dos serviços é fator preponderante para o sucesso do negócio. Associada a esta característica e não menos importante está a condição de saber se relacionar com as pessoas, tanto os clientes como os colaboradores.

É importante que o empreendedor tenha aptidão para o negócio e vontade de aprender buscando informações em centros tecnológicos, cursos, livros e revistas especializadas ou junto a pessoas que atuam na área.

Outras características importantes, relacionadas ao risco do negócio, podem ajudar no sucesso do empreendimento:

Busca constante de informações e oportunidades.
Iniciativa e persistência.
Comprometimento.
Qualidade e eficiência.
Capacidade de estabelecer metas e assumir riscos.
Planejamento e monitoramento sistemáticos.
Independência e autoconfiança.
Senso de oportunidade.
Conhecimento do ramo.
Liderança.
Espírito cooperativo.

É importante ainda a realização de cursos e capacitações constantes para atualizar-se tendo em vista que o mercado evolui rapidamente. É importante que o empreendedor conheça bem todas as técnicas e equipamentos que são disponibilizados em seu estabelecimento.
Bibliografia

AIUB, G. W. et al. Plano de Negócios: serviços. 2. ed. Porto Alegre: Sebrae, 2000.

BARBOSA, M. B.; LIMA, Carlos Eduardo de. A Cartilha do Ponto Comercial: Como escolher o lugar certo para o sucesso do seu negócio. São Paulo: Clio Editora, 2004.

BIRLEY, S. & MUZYKA, D. F. Dominando os Desafios do Empreendedor. São Paulo: Pearson/Prentice Hall, 2004.

COSTA, N. P.. Marketing para Empreendedores: um guia para montar e manter um negócio. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2003.

DAUD, M.; RABELLO, W.. Marketing de Varejo: Como incrementar resultados com a prestação de Serviços. São Paulo: Artmed Editora, 2006.

Sites consultados

ABAL – Associação Brasileira de Alumínio
WWW.abal.org.br
Site acessado em abril de 2010

ABRE – Associação Brasileira de Embalagem

http://www.abre.org.br/

Site acessado em abril de 2010

CBA – Companhia Brasileira de Alumínio.
http://www.cia-brasileira-aluminio.com.br/pt/de…;

Embalagens para forno de microondas.
http://www.furg.br/portaldeembalagens/seis/forn…;

Fabrica de embalagem de alumínio.
http://www.sebraees.com.br/ideiasnegocios/arqui…;

Fabricação de embalagens descartáveis de alumínio – marmita.
http://www.empregabrasil.org.br/gf/montar_fabri…;

Guia de Embalagem
http://www.guiadaembalagem.com.br/

Portal Tributário
http://www.portaltributario.com.br

Revista Alumínio
http://www.revistaaluminio.com.br

Sistema Brasileiro de Resposta Técnica – Embalagem descartável de alumínio.

http://sbrtv1.ibict.br/upload/sbrt252.pd…

WBMS – World Bureau of Metal Statistics

http://www.world-bureau.com/

Esses Sites foram acessados em janeiro de 2008

Fonte: Sebrae